O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) prorrogou nesta terça-feira (30/06), durante cerimônia no Palácio do Planalto, o auxílio emergencial de R$ 600 por mais dois meses. O benefício é pago a trabalhadores informais afetados pela pandemia do coronavírus.

Além de Bolsonaro e de ministros do governo, a cerimônia contou com a presença dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Como a lei que criou o auxílio emergencial, em abril, deu ao governo a possibilidade de continuidade do programa com parcelas iguais às iniciais, o Executivo federal não precisará enviar nova proposta ao Congresso Nacional.

Quando o benefício ainda estava em fase de estudo, o auxílio emergencial foi pensado para durar três meses, de abril a junho. Antes de encaminhar a proposta ao Congresso, a equipe econômica do governo queria que o valor fosse de R$ 200 a cada mês. Após pressão dos parlamentares, foi definido o valor de R$ 600.

A prorrogação vai na contramão de declarações recentes do presidente, que vinha alegando que União não teria condições de prorrogar o auxílio no valor de R$ 600.

Propostas

Logo que a discussão sobre a continuidade do benefício teve início, o governo propôs pagar mais três parcelas de R$ 300. A ideia não foi bem recebida pelo Legislativo.

Na semana passada, em uma transmissão ao vivo nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou a prorrogação do auxílio, mas disse que os valores ainda estavam sendo estudados.

Na ocasião, Bolsonaro disse que a “ideia” do governo era pagar mais três parcelas do auxílio, nos valores de R$ 500, R$ 400 e R$ 300, respectivamente, entre julho e setembro. Novamente, a proposta não foi consensual entre os parlamentares.



Nomeado para o Ministério da Educação, o professor Carlos Decotelli entregou nesta terça-feira (30) sua carta de demissão ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Decotelli teve a nomeação publicada no Diário Oficial da União na última quinta-feira (25), mas não chegou a tomar posse, que estava marcada para esta terça-feira (30) e já havia sido adiada.

O nomeado para o Ministério da Educação havia marcado uma reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) nesta terça, mas cancelou sem informar o motivo – o encontro era avaliado como uma sinalização da permanência de Decotelli na pasta. Em seguida, às 14h30, se reuniu com Bolsonaro.

Decotelli teve a nomeação articulada pelos ministros militares do Planalto. As incoerências no seu currículo, no entanto - instituições disseram que ele não tinha concluído etapas que ele dizia ter concluído - deixaram os ministros constrangidos. Decotelli chegou a alterar o próprio currículo na plataforma Lattes após as contestações.

Apesar da perda de apoio, a ala militar teme que a pasta volte a um nome ideológico, como era o caso dos ministros anteriores -Ricardo Vélez Rodriguez e Abraham Weintraub.

Incoerências

Bolsonaro anunciou Decotelli para a Educação no dia 25 por meio de suas redes sociais. Na ocasião, o mandatário escreveu que o nomeado é “bacharel em Ciências Econômicas pela UERJ, Mestre pela FGV, Doutor pela Universidade de Rosário, Argentina e Pós-Doutor pela Universidade de Wuppertal, na Alemanha".
primeira incoerência foi anunciada pelo reitor da Universidade Nacional de Rosario, da Argentina, que negou que Decotelli tenha obtido o título.

Em seguida, a Universidade de Wuppertal, na Alemanha, informou que Decotelli não possui título, apenas que realizou pesquisa de três meses na instituição.

Já a FGV também negou que Decotelli tenha sido professor de qualquer das escolas da fundação – informação que o nomeado colocou em seu currículo, sendo docente da FGV entre 2001 e 2018. A instituição também apurará suspeita de plágio em dissertação feita por Decotelli para a conclusão de curso de mestrado.

Decotelli nega que cometeu plágio, assumiu que não defendeu a tese de doutorado na Universidade de Rosário, mas que concluiu os créditos do curso, além de ter explicado que a pesquisa de conclusão na Universidade de Wuppertal está registrada em cartório na cidade alemã.

FONTE: Noticias.R7

O ministro da Economia, Paulo Guedes, informou nesta terça-feira (30) que o auxílio emergencial será estendido por mais dois meses no valor de 600 reais.
A declaração foi feita em audiência pública da comissão mista do Congresso Nacional que acompanha a situação fiscal e a execução das medidas do governo federal contra o coronavírus.
Segundo ele, o anúncio será feito ainda hoje pelo presidente Jair Bolsonaro. A extensão no mesmo valor não exige aprovação de legislação e pode ser feita por decreto.
Guedes prometeu que em dois ou três meses, seriam anunciados o novo programa Renda Brasil, que deve unificar programas sociais, e o Verde Amarelo, ideia que vem desde a campanha de reduzir encargos trabalhistas para estimular a contratação.
O ministro admitiu dificuldades em fazer com que os programas de crédito chegassem na ponta: “O desempenho nessa front de crédito foi muito difícil”, disse “Mesmo expandindo crédito como expandimos, a verdade é que continuou insuficiente”.
FONTE: Exame.com

Atrás apenas da região Sudeste, a região Nordeste foi a segunda com o maior número de recursos recebidos pelo Governo Federal. Tendo sido repassado para o Nordeste um total de R$ 9,095 bilhões. As informações foram divulgadas nesta semana em boletim nacional da Secretaria de Governo.
Só o estado de Pernambuco meio bilhão de reais do Governo Federal. O senador Fernando Bezerra Coelho, líder do governo Bolsonaro, disse por meio de nota que destaca a atuação do Ministério da Saúde na distribuição de recursos e insumos para o combate à pandemia.
“Para o governo estadual e os municípios de Pernambuco, foram repassados R$ 487 milhões entre março e junho, para a aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e testes de diagnóstico; para aluguel de leitos de UTI e compra de monitores e ventiladores; e para a contratação e remuneração de profissionais de saúde”, enumerou.
A gestão federal durante a pandemia da Covid-19 no Brasil foi vista e repercutida no mundo todo, mas não apenas por conta de sua política econômica e internacional. Mesmo durante a escalada da pandemia no país, o atrito do governo com as instituições e as gestões estaduais se intensificou.
Um dos motivos do impasse entre os chefes de poderes executivos é o tratamento de pacientes com a cloroquina. Enquanto os governadores defendem que a medicação ainda não é comprovadamente eficaz para combater o vírus, o presidente Jair Bolsonaro é defensor do seu uso.
Balanço
Nordeste – Entregas do governo federal
Equipamentos de proteção individual (EPI’s)
Máscara cirúrgica 14.348.100
- Máscara N95  828.450
- Álcool em gel (L) 129.844
- Óculos e protetor facial 392.170
- Avental 749.772
- Luvas 6.279.224
- Sapatilha e touca 4.239.400
Testes
RT-PCR 838.560
- Rápidos 1.978.620
Medicamentos

- Cloroquina 1.511.500
- Oseltamivir 944.200


Leitos


Leitos locados 150
- Leitos UTI Habilitados 2.050
- Leitos UTI Adulto SUS 4.337
- Leitos UTI Adulto não SUS 2.643
- Respiradores 1.135

Pernambuco – Entregas do governo federal
Equipamentos de proteção individual (EPI’s)

- Máscara cirúrgica 2.342.750
- Máscara N95 137.400
- Álcool em gel (L) 21.367
- Óculos e protetor facial 63.160
- Avental 124.659
- Luvas 1.025.544
- Sapatilha e touca 707.000



Testes


RT-PCR 118.720
- Rápidos 320.120



Medicamentos


- Cloroquina 223.000
- Oseltamivir 74.200



Leitos


- Leitos locados 20
Leitos UTI Habilitados 365
- Leitos UTI Adulto SUS 1.026
- Leitos UTI Adulto não SUS 621
- Respiradores 122




    Os Vereadores Suzana Freire (DEM), Duda Caldas (DEM), Nilson Gonçalves (PV), Avanildo Barros (DEM) e Karla Amando (SD), vêm através da presente nota informar que a matéria publicada por alguns meios de comunicação, onde consta que “vereadores de Cabrobó forjam viagens para o Recife em plena Pandemia para o recebimento indevido de diárias”,  não condiz com a verdade dos fatos e não passa de injuria  eleitoreira  propagada em uma rede social denominada “José Messias”, cuja identidade verdadeira é desconhecida, e por essa razão não merece respeito e nem credibilidade.

    Contudo, temos respeito e satisfação do nosso trabalho para com o povo cabroboense e por essa razão informamos que no mês de abril do corrente ano, os vereadores Nilson Gonçalves e Avanildo Barros foram ao IPA – Instituto de Pesquisa Agropecuária de Pernambuco, onde protocolaram pedidos em benefício da população que reside na zona rural, do nosso município; a vereadora Karla Amando foi a Secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado, onde também protocolou pedidos em benefício da população que reside na zona rural, do nosso município;  o vereador Duda Caldas foi ao Palácio do Campo das Princesas, onde protocolou e cobrou o início da PE – 499, a conclusão da Escola Técnica Estadual e da Escola de Referência em Ensino Fundamental Evandro Ferreira dos Santos e a vereadora Suzana Freire foi a Secretária de Saúde do Estado, onde protocolou e requereu EPI’s para o Hospital Municipal, dentre outros pedidos e solicitações.

    Por outro lado, iremos registrar um Boletim de Ocorrência perante a Delegacia de Polícia para a apuração dos supostos fatos, haja vista que a rede social acima citada, há mais de 05 anos, vem caluniando, difamando e injuriando a honra de cidadãos, e principalmente de políticos que se manifestam contra os candidatos do PSB – Partido Socialista Brasileiro, no município de Cabrobó/PE.

    Além disso, os relatórios, os protocolos e os documentos comprobatórios das viagens estão disponíveis na Câmara de Vereadores, além do que os protocolos estão no IPA – Instituto de Pesquisa Agropecuária de Pernambuco, na Secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado, no Palácio do Campo das e na Secretária de Saúde do Estado, para que seja tirada qualquer dúvida e disponíveis para consulta de qualquer cidadão.

    Ademais, informamos que durante as nossas legislaturas conseguimos para o nosso município ambulâncias, tratores com implementos, enciladeiras, retroescavadeiras, quadras esportivas, horas maquinas, poços artesianos, aguadas, emendas parlamentares para a saúde, transportes para os profissionais da saúde, mobília para o hospital, dentre outros.

    Por outro lado, informamos que não vamos nos intimidar e estamos lutando incansavelmente para que outras emendas sejam destinadas ao nosso município e tenho certeza que essas emendas vão ser encaminhadas para a nossa cidade que tanto precisa.

    Por fim, com relação àqueles que tanto criticam, lutem, procurem os seus deputados e cobrem emendas para a nossa cidade, seja na área da saúde, educação, agricultura, assistência social e esportes.

    Da Assessória de Imprensa dos Vereadores Suzana Freire, Duda Caldas, Professor Nilson, Avanildo Barros e Karla Amando.

    A Caixa Econômica Federal (CEF) também começa a pagar, a partir de segunda-feira, o saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A medida promete liberar até R$ 1.045 para cerca de 60 milhões de trabalhadores — e também ocorrerá de forma escalonada para que não haja filas nas agências. Neste primeiro momento, só os nascidos em janeiro poderão ter acesso aos recursos.

    A nova rodada de saques do FGTS foi autorizada logo no início da pandemia, por meio da Medida Provisória 946. Porém, por conta desse escalonamento, só vai terminar em novembro. Assim como o auxílio emergencial, o FGTS será liberado primeiro nas contas digitais da Caixa. Ou seja, os trabalhadores terão que usar os R$ 1.045 exclusivamente pelo aplicativo Caixa Tem, e só depois de aproximadamente um mês poderão sacar o dinheiro ou transferi-lo para outra conta bancária.

    Segundo o calendário de pagamentos estabelecido pela Caixa, toda segunda-feira serão depositados os recursos de um grupo de trabalhadores. Na próxima semana, são os nascidos em janeiro. Na próxima, os de fevereiro, e assim por diante, até o pagamento dos nascidos, em dezembro, em 21 de setembro. Já os saques em dinheiro serão autorizados sempre aos sábados, também de forma escalonada de acordo com o mês de nascimento do trabalhador, entre 25 de julho e 14 de novembro.

    A cada semana subsequente, nós realizaremos o pagamento para 5 milhões de pessoas no FGTS. E o saque será realizado, normalmente, cerca de um mês depois”, comentou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães. Segundo ele, foi preciso dividir os pagamentos dessa forma para evitar que milhões de pessoas fossem às agências em único dia, já que os saques do FGTS serão feitos junto com os pagamentos do auxílio emergencial e de programas sociais. “É preciso buscar um equilíbrio entre receber o mais rápido possível e minimizar aglomerações”, ponderou Guimarães.

    O presidente da Caixa destacou que os brasileiros não precisam aguardar o dia do saque para usar os recursos do FGTS, pois o aplicativo Caixa Tem permite pagar contas, fazer compras na internet e compras presenciais usando maquininhas de cartão.

    De acordo com a MP 946, todos os trabalhadores que têm recursos nas contas do FGTS poderão fazer o saque emergencial, no limite de R$ 1.045. É possível consultar o valor disponível na sua conta, bem como a data marcada para essa retirada, pelo site ou o aplicativo do FGTS, pelo Internet Banking da Caixa ou pela central telefônica 111.

    O trabalhador ainda tem a opção de não fazer o saque e continuar com o dinheiro nas contas do FGTS. Para isso, contudo, é preciso avisar a Caixa. O aviso pode ser feito, por meio do aplicativo ou do Internet Banking da Caixa, até 10 dias antes da data marcada para o depósito.

    Caso não consiga fazer o alerta, é só não movimentar os recursos, que vão voltar às contas do FGTS ao término do período de saques, em novembro. Os valores continuarão sendo corrigidos, segundo a Caixa.

    FONTE: Expressopb

    Se ainda optar pela candidatura, Marília deve recorrer a decisão final da direção nacional do Partido dos Trabalhadores

    O PT do Recife confirmou a decisão de manifestar apoio ao PSB nas eleições 2020 na capital pernambucana. A maioria dos dirigentes petistas locais refutaram a candidatura de Marília Arraes a prefeita.
    A decisão final se Marília será candidata ou não será da direção nacional do PT, que tem orientação pela candidatura da deputada no Recife.
    37 dos 44 delegados do PT do Recife votaram pela aliança com o PSB, que já ocorreu nas eleições de 2018. Os sete delegados pró-candidatura de Marília estiveram ausentes.
    A manutenção da aliança com o PSB é defendida pelo senador Humberto Costa, que é aliado do prefeito Geraldo Julio e do governador Paulo Câmara e indicou aliados para cargos nas gestões do PSB no Recife e no Governo de Pernambuco.
    Nos bastidores, Humberto e socialistas não veem com bons olhos a candidatura de Marília. O PSB vai lançar João Campos para disputar a sucessão do prefeito Geraldo Julio.
    Como Marília Arraes aparece com hipótese de ida a eventual segundo turno contra João Campos, com chance de disputa acirrada, a cúpula do PSB torce para que ela seja rifada da disputa, como ocorreu em 2018, quando a atual deputada foi impedida pelo PT de disputar a eleição para governador.
    A manobra abriu alas para o PT se aliar ao governador Paulo Câmara, que tentava a reeleição, em acordo para minar o quase certo apoio do PSB à candidatura de Ciro Gomes (PDT) à Presidência.
    Já Humberto Costa atua, nos bastidores, alegando que a candidatura de Marília Arraes não é uma opção, apesar de serem do mesmo partido.

    Confira o vídeo da homenagem no final da matéria

    Os irmãos e poetas José e Francinaldo Oliveira, grandes artistas e líderes da cultura de São José do Belmonte, prestaram uma belíssima homenagem ao município, nessa sexta-feira (26), em alusão ao seu 127º aniversário de autonomia político-administrativa.

    Na homenagem deste ano, como sempre fazem com as violas nas mãos e em formas de rimas e versos, os poetas inovaram e, além de parabenizar os munícipes pela data tão especial, aproveitaram para enaltecer os nomes de alguns dos inúmeros filhos da Terra da Pedra do Reino, que tanto fizeram e continuam fazendo pela cidade, citando, em nome dos demais que tanto orgulham os conterrâneos, Rogério Leão, prefeito por dois mandatos, atualmente, deputado estadual.

    Como forma de agradecimento aos que tanto contribuíram com o município, tendo cumprido suas missões na terra, os irmãos Oliveira citaram os nomes dos ex-prefeitos, Zé Carvalho e Hermes Primo, além do ex-vice-prefeito, Cacau do Banco - três grandes figuras - em representação aos inúmeros outros que também já partiram dessa vida e deixaram seus legados.

    Como reconhecimento à cidade, que é um berço formador de grandes artistas, a exemplo dos violeiros, foi citado o nome do conterrâneo e cantor Zé Rico. Belmonte, que é uma cidade pacífica, ordeira e seio de cidadãos de bem e, em representação às famílias belmontenses, os poetas citaram nomes de quatro grandes e tradicionais famílias, que são Novaes, Carvalho, Mariano e Diniz.

    Assista:




    A partir da próxima terça-feira (30), a Prefeitura do Recife realizará nova entrega de cestas básicas às famílias de baixa renda. A ação é organizada pela Secretaria de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos (SDSJPDDH) e irá contemplar, pela segunda vez, 116 mil famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e que já recebem o Bolsa Família ou que têm o perfil para receber, mas ainda não tiveram o benefício concedido pelo Governo Federal. Desta vez, o beneficiário poderá acessar o site cestabasica.recife.pe.gov.br para consultar se está apto a receber a cesta básica nesta ação e, caso esteja, poderá consultar dia e ponto de entrega. Para isso, o representante familiar deverá utilizar o número do CPF ou do NIS. A entrega de mantimentos acontecerá de segunda à sexta-feira, sempre das 8h às 17h, em seis pontos de entrega localizados em cada área da cidade.
    Além do site, outra novidade é a disponibilidade de uma central telefônica, por meio do 0800 281 2127. A ligação é gratuita e o atendimento será realizado de segunda à sexta, das 8h às 16h, com o intuito de sanar dúvidas referentes a esta ação específica. A entrega de cestas básicas acontecerá entre quatro a nove dias, a depender do local de entrega, e obedecerá a um cronograma no qual os usuários serão divididos pelas iniciais dos nomes para serem atendidos em dias específicos nos pontos de entrega que atendam aos respectivos bairros onde moram, assim como aconteceu da primeira vez.
    Diferentemente da primeira operação, nesta, o cronograma de entrega não será divido por perfis de inscritos no CadÚnico, ou seja, serão contemplados no mesmo período tanto quem já recebe o Bolsa Família, quanto quem apenas tem o perfil para o Programa, mas ainda não é beneficiário. Por isso, além de ficar atento aos canais oficiais de comunicação da Prefeitura do Recife, os dois perfis de beneficiário poderão consultar a central telefônica ou o site para obter mais informações. Para receber a cesta básica no dia da entrega, o usuário deverá apresentar o cartão do Bolsa Família, caso esteja ativo no Programa; ou CPF, caso seja apenas inscrito no CadÚnico. 
    Para a secretária de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Ana Rita Suassuna, as novidades da segunda entrega de cestas básicas pela Assistência Social irão trazer melhorias para o processo. "Desta vez, contaremos com uma equipe de cerca de 450 servidores do município distribuídos em seis pontos de entrega, aumentando a nossa capacidade de atendimento. Além disso, as famílias poderão contar com dois novos canais para tirar dúvidas: a central telefônica 0800 281 2127 e o site cestabasica.recife.pe.gov.br. Com certeza, as novidades irão contribuir para sanar as dúvidas dos usuários e tranquilizá-los", disse.
    A entrega de cestas básicas é um benefício eventual para as pessoas em vulnerabilidade social que já faz parte da rotina de trabalho da Secretaria Executiva de Assistência Social. Entretanto, diante do quadro de pandemia de covid-19, fez-se necessário realizar uma ação emergencial de ampliação da iniciativa com o objetivo de amparar os trabalhadores e trabalhadoras que tiveram que parar seus serviços, muitas vezes autônomos e informais, e deixaram de ter condições de levar o alimento para suas famílias.

    Segundo a pasta, 53.459 pessoas receberam o auxílio emergencial, incluindo pensionistas e anistiados

    O Ministério da Defesa informou que fez um levantamento e constatou que 47% dos militares que receberam os R$ 600 do coronavoucher devolveram o dinheiro. Segundo a pasta, 53.459 pessoas receberam o auxílio emergencial, incluindo pensionistas e anistiados. A estimativa anterior era de mais de 700 mil militares beneficiados irregularmente.

    Em nota, o ministério disse que “no curto prazo de menos de um mês, como resultado do esforço, até 12 de junho, 25.299 pessoas já haviam restituído os valores recebidos. O processo de restituição continua em andamento. Os valores que eventualmente não forem restituídos no decorrer deste mês serão descontados mediante glosa, em folha de pagamento”, informou.

    A pasta comunicou também que podem ser aplicadas eventuais questões disciplinares. As punições serão “apuradas no âmbito de cada Força Armada, de acordo com a legislação vigente”.


    Operação da Polícia Federal foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (26/06) no Ceará e no Rio Grande do Sul

    Os hackers suspeitos de divulgar dados pessoais do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e de outras 200 mil pessoas, entre servidores e autoridades públicas, têm entre 17 e 19 anos de idade, informou a Polícia Federal em coletiva de imprensa.

    Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta sexta-feira (26/06) a Operação Capture the Flag (Capture a bandeira, na tradução para o português) com o objetivo de combater organização criminosa de hackers.

    Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta sexta-feira (26/06) a Operação Capture the Flag (Capture a bandeira, na tradução para o português) com o objetivo de combater organização criminosa de hackers.


    O trecho finalizado faz a interligação entre os reservatórios Milagres, em Verdejante (PE), e Jati, na cidade homônima no Ceará.

    O presidente Jair Bolsonaro chegou na manhã desta sexta-feira (26) ao Ceará para inaugurar trecho do Eixo Norte da transposição do Rio São Francisco. Bolsonaro saiu no início da manhã de Brasília e pousou no aeroporto de Juazeiro do Norte, interior cearense, pouco antes das 10h.
    Após aterrissar em Juazeiro do Norte (CE), a comitiva oficial se dirigiu ao distrito de Milagres, no município pernambucano de Salgueiro (PE), na divisa com o Ceará. Lá, Bolsonaro acionou a comporta para liberação das águas da transposição, por volta das 11h. Em seguida, o presidente seguiu para Penaforte (CE), onde haverá cerimônia oficial.
    O governador do Ceará, Camilo Santana, não participará do evento em Penaforte. Em post nas redes sociais, ele afirmou que só voltará ao local da transposição “após superarmos este grave momento de pandemia”.
    Bolsonaro estava usando máscara, mas chegou a retirá-la para posar para foto, como quando estava ao lado do deputado estadual cearense André Fernandes (PSL). Ele estava acompanhado de autoridades como os ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência, Augusto Heleno, e do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.
    A obra de transposição das águas do Rio São Francisco foi iniciada em 2007, durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O trecho inaugurado nesta sexta-feira por Bolsonaro conduz as águas do Velho Chico ao Ceará, na barragem de Jati, região do Cariri.
    Os investimentos na obra passam de R$ 10 bilhões. Inicialmente, a previsão era de que seriam necessários cinco anos para a construção de 477 quilômetros em obras, reunidas em dois grandes canais para abastecer açudes e rios que desaparecem nos períodos de seca no Ceará, em Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte.

    Trecho integra reservatórios de CE e PE


    O trecho finalizado faz a interligação entre os reservatórios Milagres, em Verdejante (PE), e Jati, na cidade homônima no Ceará. Ambas fazem parte do Eixo Norte do empreendimento. Para que as águas chegassem ao Ceará, foi necessária a finalização do processo de enchimento do reservatório Milagres.
    A ideia do Projeto de Integração do Rio São Francisco (Pisf) como forma de solucionar a escassez hídrica causada pela seca acompanha governos desde, pelo menos, o Segundo Império – ainda no século XIX.