Na gestão de Romonilson Mariano, comunidade rural de Belmonte sofre há 22 dias sem água

,

Comunidade rural sofre com falta de abastecimento de água, em São José do Belmonte, há 22 dias, em decorrência da falta de um equipamento conhecido como "bombeador".

Do total de composição do corpo humano, 70% ou mais é de água. E ela tem várias funções. A água, que é um bem precioso e imprescindível na vida de todo ser vivo, está escassa no Sítio Barreiros, situação em que os moradores precisam economizar até mesmo a água de beber. Todavia, quem necessita de água ter que recorrer a poços particulares de amigos, voltando aos velhos tempos de carregar "lata d'água na cabeça".

Na manhã desta quinta-feira, 09 de maio, recebemos denúncias de moradores da localidade rural, os quais criticam diretamente o gestor municipal, Romonilson Mariano, pela falta de atenção e de ações na comunidade, algo que os gestores anteriores jamais deixaram a localidade e a população desassistidas, tampouco, os tratou com tamanha falta de respeito, tal qual o gestor atual.

"É muita falta de vontade do prefeito em querer solucionar o nosso problema que perdura há 22 dias. Já recorremos ao secretário de Agricultura e até agora, nada. O problema é simples, foi somente o bombeador da bomba que abastece as casas da nossa comunidade que quebrou e precisa ser consertado ou substituído, mas isso gera despesas. Será que teremos que resolver por nossa conta mesmo?" retrucou um morador.

"Nos tempos de Rogério Leão e Marcelo Pereira a gente via ações na nossa comunidade, mas agora, parece que somos nós quem temos que nos juntar e resolver esse problema e outros mais. Ainda dizem que cuidam de gente. Se cuidam dessa forma, imaginem se não cuidassem", ressaltou uma moradora da localidade.

Malefícios da falta de água

Já que a gestão municipal de São José do Belmonte, através do Site Oficial da prefeitura e dos dois blogs que são comandados pelo prefeito, propaga que se preocupa com a saúde da população, que "Cuida de Gente", gostaríamos de alertar que 22 dias é bastante tempo sem água numa localidade, sabendo que sem esse líquido é possível sobreviver apenas por alguns dias. Igualmente, a falta de água ocasiona vários malefícios à saúde. O primeiro sinal da falta de água é a desidratação, que vai evoluindo e piorando. Os primeiros sintomas são a sede e a fadiga física. Eles são um alerta do corpo para que a gente faça a ingestão da água, porque já há aumento nos estoques de sódio. Eles podem ir subindo em concentrações ameaçadoras e o rim será bastante prejudicado. Essa e outras substâncias aumentarão na circulação sanguínea, aí entramos num processo de intoxicação, até chegar numa situação mais grave em que não se tem nem como respirar”, explica uma nutricionista.

Inocente quer saber: Será preciso morrer de sede algum ser vivo da localidade, quer seja animal ou humano, para que a gestão municipal tome as providências?

0 comentários:

Postar um comentário