Emenda Parlamentar no valor total de R$ 100 mil foi destinada ao município e Poder Executivo local deve adquirir segunda ambulância

A requalificação dos serviços de saúde em todo Estado é uma das preocupações do deputado Rogério Leão como parlamentar em Pernambuco. Na noite dessa quarta-feira (27), o deputado entregou uma ambulância para o distrito de Poço do Boi em Pedra, Região do Agreste. O veículo, no valor de R$ 65 mil foi adquirido através de Emenda Parlamentar.

Durante a festividade de entrega, o deputado Rogério Leão agradeceu os votos recebidos no município. "Minha felicidade é poder estar aqui para agradecer os 733 votos de confiança que Pedra me deu. Festejar com vocês a aquisição dessa ambulância me enche o coração de alegria", expressou o parlamentar. O veículo atende aos anseios da comunidade de Poço do Boi e um pedido feito pelo vereador Tinan. 

Em seu discurso, o vereador Tinan disse que o povo do distrito agora tem melhor qualidade e agilidade no atendimento em saúde. "Um sonho que se realiza! O compromisso que nosso deputado Rogério Leão tem com o povo de Poço do Boi e de Pedra é firmado através de ações que vocês estão vendo", frisou. De acordo com o vereador, a parceria com o deputado veio para ficar e quem ganha é a população. 

A Emenda Parlamentar destinada ao município de Pedra tem o valor total de R$ 100 mil. Segundo o deputado Rogério Leão, o restante (R$ 35 mil) deve ser complementado pelo prefeito Osório Filho, para aquisição de uma segunda ambulância. No valor total de R$ 65 mil, a ambulância é do modelo Nova Fiorino, equipada com maca, cilindro de oxigênio, caixa para medicamentos de primeiros socorros e todos os equipamentos obrigatórios, exigidos pelo Código Nacional de Trânsito.

Além da comunidade presente na festividade de entrega, estavam  também, os vereadores, Leandro Leite (Leandro do Alegre), Alzira Lira (Alzirinha) e Cleyde Braz, o prefeito Osório Filho, o vice-prefeito Emerson Gomes (Mecinho), secretários e diretores.

Veja fotos do ato de entrega da ambulância:






Confira, curta, comente e compartilhe a postagem diretamente da Fanpage Oficial do deputado Rogério Leão:


Confira, curta, comente e compartilhe a postagem diretamente da Página Oficial do Instragram do deputado Rogério Leão:




Uma publicação compartilhada por Rogério Leão (@rogerioleaooficial) em


Fotos: Genarks Oliveira
AsCom - Deputado Estadual - Rogério Leão

Legislar sobre a proteção da saúde é uma das competências do Estado, garantida pela Constituição Federal como prevê o Artigo 24, e tem a Assembleia Legislativa como representante dos interesses do povo.

As unidades hospitalares, creches e centro de treinamentos de clubes de futebol, são locais de grande circulação e permanência de pessoas, necessitando de uma proteção contra eventos que coloquem em risco a sua vida.

Visualizando o ocorrido no Rio de Janeiro, em um centro de treinamento de futebol, apresentei na Alepe um Projeto de Lei (PL Nº 28/2019) que determina a utilização de colchões e cobertores antichamas nestes locais de grande circulação e permanência. A proposta ajudará na prevenção da vida e da saúde dos pacientes e das pessoas que necessitam passar a noite em dormitórios.

Esses colchões e cobertores atuam para retardar a propagação do fogo, em decorrência de incêndio nas edificações.

Conheça todo o conteúdo do Projeto clicando no link: https://bit.ly/2Vhf7pG



Confira, curta, comente e compartilhe a postagem diretamente da Fanpage Oficial de Rogério Leão:




Confira, curta, comente e compartilhe a postagem diretamente da Página Oficial do Instagram de Rogério Leão:




Legislar sobre a proteção da saúde é uma das competências do Estado, garantida pela Constituição Federal como prevê o Artigo 24, e tem a Assembleia Legislativa como representante dos interesses do povo. As unidades hospitalares, creches e centro de treinamentos de clubes de futebol, são locais de grande circulação e permanência de pessoas, necessitando de uma proteção contra eventos que coloquem em risco a sua vida. Visualizando o ocorrido no Rio de Janeiro, em um centro de treinamento de futebol, apresentei na Alepe um Projeto de Lei (PL Nº 28/2019) que determina a utilização de colchões e cobertores antichamas nestes locais de grande circulação e permanência. A proposta ajudará na prevenção da vida e da saúde dos pacientes e das pessoas que necessitam passar a noite em dormitórios. Esses colchões e cobertores atuam para retardar a propogação do fogo, em decorrência de incêndio nas edificações. Conheça todo o conteúdo do Projeto clicando no link: https://bit.ly/2Vhf7pG #PernambucoTemGarra #Seguranca #Saude #Pernambuco
Uma publicação compartilhada por Rogério Leão (@rogerioleaooficial) em



Por Cornélio Pedro da Costa, policial civil aposentado, integrante do movimento Acorda Serra Talhada

Com o surgimento de um projeto de lei para criar uma nova pasta com o pomposo nome de Secretária de Relações institucionais, talvez inspirada nas inúmeras crises mundiais, nasce um instrumento que levou longos seis anos para se mostrar necessário?

O discurso da famosa ponte Serra/Brasília, que foi azeitada e fartamente utilizada pelo chefe do executivo, agora não possui mais atrativo nem facilidade pela queda do petismo.

Embora o amplo trânsito que a administração aproveita intensamente, com vários e interpartidários parceiros, a novidade dessa secretaria aparece justamente no final de uma administração que até mostrou serviço, embora questionável e polêmico em muitos projetos.



Cito a famigerada TCR (Taxa do Lixo). E agora sob as bênçãos e apoio do legislativo, que mais uma vez navega na contramão da atualidade econômica do país, aceita a criação de uma pasta que não tem outra intenção:

1- O abrigo a parceiros políticos que não tiveram êxito na última eleição e saíram derrotados nas urnas.

2 – Uma pasta que pela sua própria característica exige uma qualificação mais do que técnica no seu DNA. Exige a capa política das articulações e do lobismo pragmático de quem já exerceu um cargo político no Legislativo.

3 - Qual será o custo da estrutura desta novidade aos cofres públicos do município que os vereadores na última segunda-feira (25) em sua maioria aprovaram em regime de urgência e com louvor?

Tudo é realizado sem o devido debate, apenas com um discurso de fundamental importância e necessidade para o executivo.

É uma ação vergonhosa a tomada de decisão dos nossos representantes do poder Legislativo. Com as ressalvas aos quatro opositores que votaram contra.

SAIBA COMO VOTOU O SEU VEREADOR

A FAVOR DO PROJETO

O projeto que cria esse "cabide para pendurar mais um aliado" contou os votos dos vereadores da base governista, Manoel Enfermeiro, Nailson Gomes, Zé Raimundo Filho, Sinézio Rodrigues, Alice Conrado, Paulo Melo, Antônio Rodrigues, Agenor de Melo Lima, Ronaldo de Deja, André Maio, e de dois oposicionistas” Vera Gama e Dedinha Inácio, que destoaram da bancada de oposição.

CONTRA O PROJETO

Antônio de Antenor, Rosimério de Cuca, Pinheiro do São Miguel e Jaime Inácio foram coerentes e votaram contra a aprovação da secretaria.



“Toda a ajuda é muito importante, mas nesse caso, é desnecessária”, disse
Sobrou boa vontade, mas faltou informação”, comentou o deputado federal Sebastião Oliveira em relação à notícia divulgada pelo também parlamentar pernambucano Fernando Monteiro sobre o Aeroporto Santa Magalhães, em Serra Talhada.
De acordo com Oliveira, Fernando Monteiro “focou errado as energias, já que todos os recursos necessários para a conclusão da obra de requalificação do aeroporto estão assegurados”.
Assinei, ainda como secretário de Transportes de Pernambuco, o Termo de Compromisso que garante a liberação dos recursos por parte do Governo Federal sem que haja a contrapartida por parte do Governo do Estado”.


Sebastião Oliveira explicou ainda que falta pouco para que o equipamento possa ser entregue à população.
Falta regularizar a questão da cerca, que já se encontra licitada, e finalizar a terraplanagem. Todo o trabalho já realizado foi bastante elogiado por todos os órgãos responsáveis pela certificação do aeroporto, como a ANAC”, disse Sebá.
Toda a ajuda é muito importante, mas nesse caso, é desnecessária”, concluiu.
FONTE: Nill Júnior

A XI Gerência Regional de Saúde (Geres) realizou, na manhã desta quarta-feira (27.02), o seminário 'Atenção a Gestantes com Exantema'.
A programação, voltada para profissionais da Vigilância em Saúde e Atenção Primária dos municípios da região, aconteceu, das 8h às 13h, no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Serra Talhada, no Sertão do Estado, sede da XI Geres. 
O encontro focou nas ações de vigilância contra as arboviroses (dengue, chikungunya) transmitidas pelo mosquito Aedes aegpyti. A atualização também foi voltada para médicos e enfermeiros de unidades de saúde que realizam pré-natal das gestantes, profissionais que atuam em laboratórios das secretarias municipais de saúde (prioritariamente responsáveis pelo gerenciador de ambiente laboratorial, sistema que libera os resultados de exames dos laboratórios regionais de saúde pública) e profissionais do Canto Mãe Coruja. 
Na programação, os participantes assistiram a palestras sobre pré-natal da gestante com exantema e doenças exantemáticas; vigilância da gestante com exantema e procedimentos para coleta de exames; e procedimento na detecção de crianças com microcefalia e encaminhamentos. 

Representação é baseada na ex-assessora do presidente enquanto deputado, Nathália Queiroz: a suspeita é que ela fosse “funcionária fantasma”

O procurador da República do Distrito Federal, Carlos Henrique Martins Lima, enviou à Procuradoria Geral da República (PGR) representações que indicam suspeita do crime de peculato (desvio de dinheiro público) e improbidade administrativa em relação ao presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). As informações são do G1.

A representação é baseada na suspeita de que a ex-assessora parlamentar de Bolsonaro entre 2007 e 2016, Nathália Queiroz, tinha registro de frequência integral no gabinete da Câmara dos Deputados, ao mesmo tempo em que trabalhava em horário comercial como personal trainer no Rio de Janeiro. Nessa época, Bolsonaro ainda era deputado federal.

A possibilidade, segundo o procurador, é que Nathália fosse uma funcionária “fantasma”, ou seja, recebia salário, mas não trabalhava efetivamente na Câmara.

Segundo Martins Lima, o caso pode ou não ser apurado junto com uma suspeita de irregularidades em relação a uma outra funcionária que estaria sob análise da PGR.

O procurador da República disse ainda que, embora não haja foro para crimes de improbidade contra o presidente, é preciso aguardar uma posição sobre a suspeita na área criminal. A decisão de abrir inquérito para investigar Jair Bolsonaro caberá à procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

Tem-se, portanto, que nada impede que o presidente da República seja investigado e responsabilizado na esfera cível e, na esfera penal, veja a investigação por tais atos ter regular andamento, entendimento partilhado pela atual Procuradora-Geral da República. A imunidade restringe-se à ação penal e respectiva responsabilização por atos estranhos ao seu exercício, no curso do mandato”, afirmou Carlos Lima.

Nathália Queiroz é filha de Fabrício Queiroz, ex-motorista e ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho de Jair Bolsonaro. Queiroz é investigado pelo Ministério Público por movimentação atípica de dinheiro apontada pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) nas contas que envolvem ainda Flávio Bolsonaro.


Ricardo Vélez Rodríguez volta atrás quanto à orientação dada às escolas para filmarem as crianças sem autorização dos pais

O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, reconheceu nessa terça-feira (26) ter cometido um erro ao pedir que escolas filmassem crianças cantando o hino nacional, sem autorização dos pais, em uma mensagem que termina com o slogan de campanha do presidente Jair Bolsonaro, "Brasil acima de tudo. Deus acima de todos!".
"Percebi o erro. Tirei esta frase, tirei a parte correspondente a filmar crianças sem autorização dos pais. Se alguma coisa for publicada, será dentro da lei, com autorização dos pais", disse Vélez após sair de uma visita de cortesia ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). 
Indagado sobre quando comunicou o recuo às escolas, disse apenas que "saiu de circulação" e, cercado por seguranças e assessores, não respondeu a nenhuma das perguntas feitas por jornalistas que o acompanharam durante o trajeto de alguns metros entre a presidência do Senado e o plenário da comissão de Educação, onde ele prestará esclarecimentos a senadores ainda nesta terça.


Nessa segunda-feira (25), o Ministério da Educação enviou a escolas do país uma carta em que pede para que alunos, professores e funcionários sejam colocados em fila para cantar o hino nacional em frente à bandeira do Brasil.
O documento também pede que o momento seja filmado e enviado ao novo governo. A mensagem é assinada pelo ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, para quem a medida visa saudar "o Brasil dos novos tempos".
"Brasileiros! Vamos saudar o Brasil dos novos tempos e celebrar a educação responsável e de qualidade a ser desenvolvida na nossa escola pelos professores, em benefício de vocês, alunos, que constituem a nova geração. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos!", afirma a mensagem.
No email, Vélez Rodríguez pede que a mensagem seja lida antes da execução do hino –o que faria com que diretores citassem também o slogan de campanha de Bolsonaro.

De acordo com informações do site Farol de Noticias, o prefeito de Serra Talhada Luciano Duque (sem partido) criou a Secretaria Municipal de Relações Institucionais (SEMRI), e o objetivo é contemplar o aliado Augusto César, ex-deputado que não conseguiu se reeleger no ano passado.

Exatamente num momento em que se fala de austeridade, tendo estados importantes reduzindo o tamanho da máquina administrativa, e quando se debate uma Reforma da Previdência para equilibrar as contas da União, o prefeito que já teve suas contas de 2013 e 2014 consideradas irregulares pelo Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco, não se mostrou constrangido em dizer que a pasta pode ser para qualquer um [aliado], inclusive para Augusto César.

Quando se discutia a necessidade de otimizar a máquina municipal, incluindo um provável enxugamento no número de secretarias, a SEMRI vem se juntar a outras de custo-benefício bem duvidoso.

O melhor foi a justificativa do prefeito: “se faz necessário esta secretaria pois tenho viajado muito em busca de recursos para Serra Talhada, e vou ter que acompanhar o debate interno para 2020. A secretaria é absolutamente necessária”, ou seja, o prefeito vai fazer campanha política enquanto que alguém [deve ser Augusto] ficará a cargo de ocupar o lugar que ele mesmo disse já ser conhecido que é o de “pidão”, indo constantemente a Brasília em busca de recursos.

Vale lembrar ao prefeito que ele foi eleito para governar até o último dia de seu mandato e que a atividade de política partidária sempre é exercida de maneira simultânea, já que é legítimo e legal que se envolva no processo sucessório, mas essa atividade não faz parte da administração pública, logo não pode ser custeada diretamente pelos cofres públicos, com uma secretaria com atividades que poderiam ser desempenhadas por outras já existentes, como a Secretaria de Governo, por exemplo.

O Projeto de Lei Complementar 004/219 que criou a Secretaria Municipal de Relações Institucionais foi aprovado na sessão dessa segunda-feira (25) na Câmara de Vereadores do município. 

SAIBA COMO VOTOU O SEU VEREADOR

A FAVOR DO PROJETO

O projeto que cria esse "cabide para pendurar mais um aliado" contou os votos dos vereadores da base governista, Manoel Enfermeiro, Nailson Gomes, Zé Raimundo Filho, Sinézio Rodrigues, Alice Conrado, Paulo Melo, Antônio Rodrigues, Agenor de Melo Lima, Ronaldo de Deja, André Maio, e de dois oposicionistas” Vera Gama e Dedinha Inácio, que destoaram da bancada de oposição.

CONTRA O PROJETO

Antônio de Antenor, Rosimério de Cuca, Pinheiro do São Miguel e Jaime Inácio foram coerentes e votaram contra a aprovação da secretaria..


Deputada criticou e-mail enviado às escolas pelo MEC, em que pediu para que os alunos fossem filmados cantando o hino

deputada estadual eleita Janaina Paschoal (PSL-SP) criticou o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, pelo envio de e-mail a escolas de todo o País com orientação para que alunos fossem filmados cantando o hino nacional.

"Ministro, contrate urgentemente um assessor jurídico, especialista em ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente)", escreveu Janaina nesta terça no Twitter. "Não se pode sair filmando as crianças (isso vale para os amantes de face, insta, etc). Ademais, primeiro realize algo concreto e os elogios virão naturalmente."
Ao rebater comentários de que o e-mail poderia se configurar como um crime de responsabilidade, como a acusação que fundamentou o pedido de impeachment de Dilma Rousseff (PT) e da qual Janaina foi coautora, ela diz que a mensagem enviada pelo MEC é "surreal".

Como mostrou o jornal O Estado de S. Paulo, no e-mail enviado às escolas, a carta assinada pelo ministro termina com o slogan da campanha eleitoral de Jair Bolsonaro, "Brasil acima de tudo. Deus acima de todos".
"Prezados Diretores, pedimos que, no primeiro dia da volta às aulas, seja lida a carta que segue em anexo nesta mensagem, de autoria do Ministro da Educação, Professor Ricardo Vélez Rodríguez, para professores, alunos e demais funcionários da escola, com todos perfilados diante da bandeira do Brasil (se houver) e que seja executado o hino nacional", diz a mensagem.


Gilmar Mendes
Janaina também comentou as investigações da Operação Lava Jato no Rio, que colocaram o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, como alvo em apuração da Receita que mira ao todo 134 agentes públicos. O procedimento atingiu a mulher do presidente do STF, Dias Toffoli, e a ministra do Superior Tribunal de Justiça Isabel Gallotti.
Em entrevista à rádio BandNews, o ministro afirmou ter sido alvo de "arapongagem" (espionagem) a pedido de procuradores da República e juízes. O jornal Folha de S.Paulo informou que Mendes teria dito: "Sou do Mato Grosso. Lá a gente lida com chantagista assim: é matar ou morrer".
Para Janaina, a situação é grave. "Até agora, eu estava compreendendo as falas do Ministro Gilmar Mendes como retórica. No entanto, ele insiste em falar em chantagem, chega a falar em 'matar ou morrer', frente à chantagem. Considero a situação grave. Não estamos diante de um político, que muitas vezes exagera nas cores de suas falas. Estamos diante de um Ministro do Supremo Tribunal Federal."
A deputada cobra a abertura de inquérito e esclarecimentos por parte do ministro. "A Procuradoria Geral da República precisa iniciar um inquérito e chamar o ministro a depor. A situação é muito grave", escreve. "(Ele) precisa ser claro: 1) Quem está sendo chantageado? 2) Por que um Ministro do STF está sendo chantageado? 3) Quem é o autor da chantagem? 4) Qual a exigência do chantagista? No lugar de investigar a investigação da Receita, é preciso apurar a chantagem." Com informações do Estadão Conteúdo.

FONTE: Notícias ao minuto

Segundo relato, empresário rodou R$ 8.000 em materiais gráficos para campanha do líder do PSL, mas emitiu nota no valor de R$ 38 mil

dono de uma empresa de serviços gráficos em Abreu e Lima (PE) contou a um político do estado, sem saber que estava sendo gravado, que participou de um esquema de desvio de verba na campanha a deputado federal de Luciano Bivar, presidente nacional do PSL, em 2018.

Segundo Luiz Claudio Cordeiro Palhares Junior, proprietário da Collossu's Empreendimentos, a pedido de um ex-vereador próximo a Bivar, ele rodou R$ 8.000 em materiais gráficos, mas emitiu nota no valor "de R$ 38 mil para ele pegar os R$ 30 mil".
O jornal "Folha de S. Paulo" teve acesso à gravação e publicou informações do esquema nessa terça-feira (26).


Como cita a publicação, o serviço em questão aparece na prestação de contas de Bivar no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), no valor de R$ 41.602,68, sendo R$ 36.176,25 referentes ao serviço em si e R$ 5.426,43 a impostos.
De acordo com a nota fiscal da Collossu's Empreendimentos, foram confeccionados 200 perfurados, 1.200 adesivos, 100 mil santinhos, 60 mil praguinhas, 700 bandeiras e 300 camisas para a campanha do então candidato a deputado federal Luciano Bivar nas eleições 2018.
Na gravação, o político pergunta o que a empresa seria capaz de rodar e Palhares responde: "Tu pode fazer o seguinte, como eu fiz lá com o cara: ele rodou cerca de R$ 8.000 em material e tirou R$ 38 [mil] de nota, entendeste?".
Procurado, pela reportagem, o deputado disse que as contas de sua campanha foram aprovadas pela Justiça Eleitoral e que desconhece a situação descrita pela Folha.

A mensagem emitida pela aprovação na câmara de vereadores de Serra Talhada da criação de mais uma secretaria na prefeitura vai além dos custos ordinários que ela gerará, também é muito mais do que o arrumadinho para acomodar aliado, o que não é nada inédito nessa gestão. A aprovação dessa secretaria expõe em dimensão colossal a subserviência do Poder Legislativo, que se encontra nitidamente na mão do Poder Executivo e capacho de suas vontades, até das insanas.

Quando acusamos os vereadores de fazerem corpo mole, ao apontarmos irregularidades nesta gestão que poderiam ser fiscalizadas pelos edis, mas não são, podemos parecer exigentes, duros ou até opositores, mas não é isso. Está claro o comportamento dos vereadores, que deixam de fazer os trabalhos de ofício, como apresentar e provar leis que melhorem a vida da população, de fiscalizar e evitar que a corrupção ocorra na administração publica, mas que são apressados e fazem hora extra para aprovar projeto de urgência que criar mais empregos na prefeitura, talvez alguns deles que serão ocupadas por indicados dos próprios vereadores. Esta mesma câmara engavetou o projeto que visa acabar com um dos dois recessos anuais naquela casa, assim como deram o mesmo destino ao seu ofício de fiscalizar outras questões, como a situação dos resíduos sólidos.

Usando uma frase do presidiário Lula dita contra o STF quando ainda solto sentia-se pressionado e a cadeia já se avizinhava, a nossa Câmara de Vereadores é acovardada. Além da ignorância notória que se percebe, da falta de instrução, da ausência do habilito salutar da leitura, logo do conhecimento, está evidente que essa legislatura não se posiciona como sendo este poder. A Câmara de Vereadores se tornou um grande balcão de negócios, por enquanto pelo menos isso ainda não é unanimidade naquela casa, umas poucas almas ainda se posicionam contrárias a falta de respeito que a gestão tem pelo povo, mas a maioria já assina embaixo.

Ontem falamos das obras do Anel Viário, irregulares segundo a Controladoria Geral da União, falamos também da denúncia arrefecida quando se falou em superfaturamento nos medicamentos. Mais ainda podemos expor outras situações que mereciam uma câmara atuante: Upa-24 horas, Samu, fardamento escolar, contratações de veículos, zona azul, possíveis irregularidades nos processos de seleção simplificadas e muito mais. Isso prova que a Câmara de vereadores se omite, pois, acostumou-se mal a ter uma sociedade que não cobrava.

Não vamos perder o respeito pelos nossos vereadores, pois são autoridades constituídas pelo voto popular direto, mas alertamos que se comportem como se deve. Pois o fato de ocuparem um cargo eletivo e de serem autoridades deste poder, isso não dará imunidade, não vai impedir que enxerguemos a câmara não apenas omissa, mas conivente e sócia da má gestão e do prejuízo que é causado na administração pública.

As contas de 2013 e 2014 rejeitadas pelo TCE atingem legalmente o Poder Executivo, o prefeito Luciano Duque, mas moralmente acertam a Câmara de Vereadores, pois se houve excesso e exagero da prefeitura é porque os vereadores não fizeram o seu papel adequadamente. O toma lá dá cá que, que antes era feito nos bastidores, em reuniões nas madrugadas e contava ou ainda conta com conivência de setores da imprensa, hoje não é segredo, nem os senhores disfarçam, e se depender da gente vamos expô-lo publicamente para que vossas senhorias sejam reconhecidas pela sociedade, segundo as suas obras.

SAIBA COMO VOTOU O SEU VEREADOR

A FAVOR DO PROJETO

O projeto que cria esse "cabide para pendurar mais um aliado" contou os votos dos vereadores da base governista, Manoel Enfermeiro, Nailson Gomes, Zé Raimundo Filho, Sinézio Rodrigues, Alice Conrado, Paulo Melo, Antônio Rodrigues, Agenor de Melo Lima, Ronaldo de Deja, André Maio, e de dois oposicionistas” Vera Gama e Dedinha Inácio, que destoaram da bancada de oposição.

CONTRA O PROJETO

Antônio de Antenor, Rosimério de Cuca, Pinheiro do São Miguel e Jaime Inácio foram coerentes e votaram contra a aprovação da secretaria.